AS RUNAS NOS MUNDOS DE D&D

 

Loja Mágica por Candra




AS RUNAS EM D&D

 

Runas são uma temática clássica de D&D. Algumas raças e criaturas como anões, gnomos, gigantes e mesmo elfos e drows são conhecidos por terem seu próprio conjunto de runas. Sociedades secretas às vezes também criam essa escrita simbólica para passar mensagens a seus membros. Os Harpistas, em Forgotten Realms, possuem um conjunto de runas exatamente para este fim, por exemplo.

 

As runas têm, de cara, uma vantagem óbvia sobre a palavra escrita por meio de um alfabeto: são mais curtas. Assim, são preferidas por conjuradores para que algum tipo de magia seja inscrita nela. Algumas sociedades (gigantes e anões, principalmente) desenvolvem toda uma forma de conjuração a base de runas, com grimórios e runas religiosas fazendo parte da iniciação do conjurador no mundo da magia.

 


Runas presentes na aventura Storm King's Thunder




É verdade que às vezes algumas tradições se perdem. A sociedade dos gigantes do tempo do reino de Ostória, em Forgotten Realms, por exemplo, usavam com muito mais freqüência e com muito mais conhecimento as runas do que nos tempos atuais. Da mesma forma, o tempo dos grandes reinos anões já se foi e muito do conhecimento sobre a conjuração através de runas foi perdido.

 

Runas são um excelente meio de se inscrever e transferir a magia para um local ou item. Por isso, muitos itens mágicos e armadilhas mágicas possuem runas (que são o alvo para se desarmar uma armadilha mágica. Se você quiser ler sobre armadilhas mágicas e não mágicas você pode ler nosso suplemento sobre Armadilhas AQUI). Uma das explicações para tal é que as runas, quando bem inscritas, ressoam com a Trama Mágica, facilitando o laço entre o mundo material e o sobrenatural.

 


Runas contidas no Greyhawk - Player's Guide do AD&D




Por serem concisas, runas também são usadas para transmitir informações. Se uma arca selada magicamente guarda algo poderoso (talvez um efreti ou um ínfero esteja preso dentro dela, ou ela leve um artefato maligno), mas não se quer assustar os “pobres guardas e carregadores” com esta informação, um símbolo é cravado na arca indicando a presença da criatura (ou de algo perigoso). Seria uma infelicidade se bandidos ignorantes roubassem a arca e libertassem a criatura, não é mesmo?

 

Ser concisa nem sempre é uma vantagem indiscutível. A runa élfica Savaros, por exemplo, pode ser traduzida como “goblins” ou “goblinóides” para o idioma comum. Na sua origem ela indicava apenas isso, mas seu uso se expandiu para indicar que aquele território é dominado ou aliado a goblins, e também a todo tipo de goblinóides e mesmo kobolds ou orcs!

 


Runas presentes na Caixa de Cenário de Forgotten Realms do AD&D




Druidas também usam runas por uma série de motivos: algumas indicam a presença de seres feéricos, ou de plantas com efeitos especiais, ou de área onde acontecem muitas tempestades, ou mesmo a presença de um rio que na noite da conjunção das duas luas corre ao contrário, abrindo um portal pra Faéria (ou pro Rio Stirge...). Os círculos druídicos muitas vezes possuem proteções através de runas mágicas, e os menires druídicos muitas vezes também são encantados com o uso destes símbolos mágicos.

 

Runas às vezes são usadas para guardar magia (recarregável ou de uso único). Para quem conhece os segredos de gravar runas mágicas, não é diferente de escrever um pergaminho ou fazer uma poção mágica. É necessário usar como componente uma gema rara e sem imperfeições (e quanto mais poderosa a magia, mais cara é esta gema). O restante do processo varia conforme a magia. Para entender melhor a criação de itens mágicos, aconselhamos esta leitura AQUI.  Da mesma forma que pergaminhos e poções, algumas runas podem ser usadas por qualquer usuário que conheça a palavra de comando, enquanto outras só podem ser usadas por quem possui a magia em sua lista de magias (e, ainda assim, com chance de falha, da mesma forma que pergaminhos). Algumas runas também podem ser a base de um item maravilhoso, como as runas dos gigantes presentes na aventura Storm King’s Thunder, que possuem um efeito contínuo e efeitos ativados com o uso de ação (ou ação bônus ou outra forma de ativação).

 


Runas presentes na Caixa de Cenário de Forgotten Realms do AD&D





A verdade é que runas, tenham ou não ligação com a Trama Mágica, são pictogramas que permitem a transmissão de uma informação pra todos que a conhecem, independentemente do idioma falado. Essa é sua maior vantagem. Identificar uma runa de uso comum exige um Teste de Inteligência CD 15, enquanto runas incomuns podem ter CD 20 e runas raras podem ter CD 25 ou mais. Proficiência em Arcanismo, Religião, História ou mesmo Natureza pode ajudar no teste (permitindo o uso de proficiência na rolagem). Da mesma forma, algumas runas tem forte ligação com algum idioma e são muito conhecidas culturalmente por certos povos, o que dá vantagem no teste para quem fala aquela língua (seja infernal, élfico, anão, gnômico ou qualquer que seja a origem da runa).

 

Por fim, não custa lembrar que existem runas pessoais. Em Forgotten Realms, por exemplo, todo mago termina sua iniciação criando sua própria runa mágica. A runa pessoal surge em magias como Runas Explosivas, Símbolos e em formas pessoais de conjurar uma magia (como presente no “Caldeirão da Tasha”), além do uso para assinar trabalhos “acadêmicos”, indicar posse de alum item ou lugar, entre tantos outros usos dessa “assinatura arcana”. Há lendas de que o uso da runa pessoal de outro mago faz com que Mystra amaldiçoe eternamente o farsante. Até pela tradição, alguns bruxos e feiticeiros também possuem suas runas pessoais. A verdade é que na época do AD&D as maldições em cima de quem usava a runa pessoal de um mago de fato acontecia. Na 5E, o Guia do Aventureiro da Costa da Espada traz a informação de que não há de fato uma penalidade por usar a runa de outro conjurador, exceto o risco de ser perseguido por este conjurador, e que essas lendas começaram a ser espalhadas pelos próprios magos para evitar na origem a falsificação de suas assinaturas.


 

Runas Pessoais presentes na Caixa de Cenário de Forgotten Realms do AD&D






FINALIZANDO



Esperamos que tenham gostado desse texto. Quer ler sobre a Trama Mágica? Você pode ler sobre a trama, a trama sombria, áreas de magia morta e de magia selvagem AQUI! Compartilhe esse texto! Comente e curta nossa página nas redes sociais!  @meuspergaminhos está no Twitter, Instagram e Facebook, além de seguir nosso canal no Youtube. Você pode encontrar nossos links nos ícones ali em cima ou visitar nosso Linktree AQUI.

 

 Bons Jogos!







 

Postar um comentário

0 Comentários