NÍVEL DE PÁRIA - ABORDANDO PRECONCEITO EM D&D


REJEIÇÃO SOCIAL - NÍVEL DE PÁRIA



Mirrado olhou para seus companheiros: Liene, uma elfa; Jaime, um caliban e Victor, um meio vistani. Eles seriam mal vistos na vila de Karg, certamente. Ainda que Darkon não fosse um reino tão preconceituoso, Karg sempre foi uma vila majoritariamente humana e levemente esnobe. A melhor chance que eles tinham era com ele mesmo.  Mirrado olhou para si mesmo. O confronto com as aranhas gigantes fez com que suas roupas ficassem em farrapos. Ainda bem que ele tinha um conjunto extra em sua mochila. Foi até a carroça, trocou de roupas e avisou seus amigos que iria na frente para conseguir uma estalagem com lugar para guardarem os cavalos. Ele sabia que talvez custasse um pouco mais caro, mas quem sabe um pouco de conversa e algumas cervejas não fizessem o estalajadeiro o tratar melhor? Não era um excelente plano, mas já era algum plano. Ainda mais se eles não queriam chamar a atenção. A criatura que convocara aquelas aranhas gigantes certamente estava em algum lugar na vila. Ele tinha certeza disso...





A maioria das pessoas de Ravenloft vive e morre a uma pequena distância de seu local de nascimento e pode gastar suas vidas inteiras sem nunca conhecer o sobrenatural. Quando combinado com culturas ricas em desconfiança e superstição, o resultado é a xenofobia. Isto é expresso como um Nível de Pária (NP), que pode modificar as Dificuldades de testes de habilidades sociais realizadas por qualquer personagem que apareça "não natural" ou "estrangeiro".

O Nível de Pária de um personagem pode ser modificado por sua raça, posição social, deformidades físicas ou até o equipamento que ele carrega. Quando o NP de um personagem aumenta, as reações do PdM vão de indiferente a hostil, representando seu preconceito que varia de uma neutralidade afastada até chegar ao ponto da agressividade ou do amedrontamento.

Em termos numéricos, aplica-se desvantagem aos testes de Carisma, exceto quando usado para intimidar. Isto nunca se aplica quando se trata de amigos ou aliados ou com quem compartilha da fonte de rejeição social, como membros de sua própria raça.




 


NÍVEL DE PÁRIA (BASE RAVENLOFT) POR RAÇA



A raça na coluna (eixo Y) representa a raça do personagem jogador, enquanto a raça na linha (eixo X) representa a raça do NPC.





Esta  tabela usa como referência o cenário de Ravenloft. Em seu cenário, seja oficial ou próprio, você pode (e recomendo que o faça) criar suas próprias relações. Não adicionei mais raças pois mesmo draconatos, meio orcs e tiferinos já são bastante raros no Semiplano do Medo e só foram inseridas por estarem no Livro do Jogador. Meio Vistanis e Calibans são raças do cenário e, se vocês quiserem, podemos adaptar aqui em Meus Pergaminhos nos próximos dias!

Após considerar a raça, você deve considerar o NP local. Metrópolis cosmopolitas (inexistentes em Ravenloft) certamente não teriam NP. Domínios possuem NP variados. Darkon, um domínio onde é relativamente comum se encontrar habitantes de diversas raças, tem NP entre 0 nas maiores vilas e 1 ou 2 nos pequenos povoados. Já Barovia, um reino predominantemente humano, tem NP variando entre 2 e 3. Domínios com altos níveis de Xenofobia como Fakovnia podem chegar a 5 e Tepest, onde a Inquisição começou caçando fadas e passou a caçar qualquer não humano (além de feiticeiros e bruxos), chega a ter um NP de 5 pontos em seus povoados e em assustadores 8 pontos em Viktal, uma de suas principais vilas . 





O Nível de Pária reflete apenas as primeiras reações: é possível diminuir o NP do personagem, melhorando assim o tratamento que ele recebe. Para cada “boa ação” (aqui essa boa ação é algo relativo, já que para cada sociedade isso pode significar uma coisa diferente) que um personagem realiza (parando um crime, derrotando um monstro que aterroriza a comunidade, ajudando fazendeiros, e assim por diante), esse indivíduo dissipa parte do medo e do preconceito da comunidade no que se refere a ele, fazendo o seu NP cair nessa comunidade em 1 ponto, para um mínimo de 0.


O NP base para não sofrer com este distanciamento social é de 5 pontos. Abaixo de 5, o tratamento pode não ser cortês, mas não será rude ou desconfiado ao ponto de gerar claras penalidades (desvantagem no teste). Igual ou maior que 5, no entanto, gerará desvantagem nos testes (conforme dito acima), além do tratamento em termos de interação e também, em alguns casos, tornar algumas possibilidades impossíveis (como um mercador se recusar a vender ou um estalajadeiro não alugar quartos em sua estalagem).

Boas ações reduzem aos poucos o NP para aquela comunidade, enquanto ações vis ou simplesmente mesquinhas farão com que o NP aumente.



Exemplo de uso da tabela: Elfos têm uma base NP de 3 ao se relacionar com humanos. Eles somarão então esse valor ao NP local e, se o valor final for 5 ou superior, ele sofrerá desvantagem nos testes de Carisma com humanos deste local. 

Essa regra pode ser usada fora dos Domínios do Medo, mas lembrando que mundos fantásticos menos centrados na raça humana tendem a ser mais cosmopolitas e, no mínimo, aceitam melhor as diferenças.



INTERAÇÃO COM AS REGRAS DE INTERAÇÃO SOCIAL E RENOME



O Dungeon Master's Guide  traz regras para Interação Social e para Renome, as quais abordaremos agora.



Interação Social


Na página 244, o Livro do Mestre aborda a questão da interação social e de como isso funciona em termos de rolagens de dados. Ao usar a regra opcional aqui abordada de Nível de Pária, é importante entender o seguinte: personagens com Nível de Pária diferentes de zero nunca começam uma interação social com o alvo tendo uma reação “Amigável”/“Amistosa”. O Personagem do Mestre sempre estará Indiferente ou Hostil. Conforme pode ser visto na página 244, a atitude poderá ser mudada. Seja como for, personagens com Nível de Pária igual ou superior a 5 nunca conseguirão fazer com que um alvo se torne “Amigável”/“Amistoso”.

É possível que um personagem tente ajudar no teste, conforme descrito na página 245. Porém, um personagem com NP igual ou superior a 5 são incapazes de ajudar e sua interferência pode ser inclusive malvista, trazendo desvantagem no teste, se o Mestre considerar apropriado.



Renome


Na página 22, o Livro do Mestre traz a regra de Renome. Renome é uma forma de Status que o personagem adquire com uma organização. O livro traz algumas organizações típicas de Faerun, mas em seu mundo você pode alterar para as organizações que achar mais adequadas, incluindo igrejas e governos. Cada Ponto de Renome conquistado reduz o NP do personagem em 1 para aquela organização. Algumas organizações podem possuir seus próprios níveis de NP para cada raça, se quiser adicionar um pouco mais de complexidade ao sistema. Talvez os Zhentarim tratem os meio orcs com NP 1, enquanto tratam elfos com NP 4. Mais uma vez, cabe ao Mestre julgar o Nível de NP de suas organizações conforme achar mais adequado.

Além disso, um personagem com Renome em uma determinada organização pode ter seu NP aumentado ou reduzido em determinadas regiões geográficas. Um personagem com alto renome com o Culto do Dragão certamente não será bem recebido, caso seja identificado, numa vila que foi pilhada por cultistas 3 semanas antes. Neste caso, o Mestre poderia adicionar o Renome ao NP do personagem ao interagir com as pessoas desta vila.






E aí? Gostaram da Regra de Nível de Pária? Acharam complicada? Vai criar suas próprias tabelas? Ou pretende usar apenas como uma dica não numérica, sem se atentar demais aos números? Comente com a gente? Curta nossas páginas nas Redes Sociais (@meuspergaminhos) e entre em nosso Grupo do Facebook!

Para mais regras adaptadas para o cenário de Ravenloft, clique AQUI.

Bons jogos!

Postar um comentário

1 Comentários

Macbeth disse…
Você possui a tabela de níveis de paria para todos os dominios de Ravenloft? Ou pode me indicar algum suplemento que a tenha?