UMA (NÃO TÃO) BREVE HISTÓRIA DOS REINOS - PARTE I

UMA (NÃO TÃO) BREVE HISTÓRIA DOS REINOS



DO COMEÇO ATÉ OS DIAS DE HOJE



Texto de Rafael Castelo Branco de Oliveira Torres.




Forgotten Realms, o cenário oficial da atual edição de Dungeons & Dragons, tem uma história gigantesca e absurdamente bem detalhada. Desta forma, é muito difícil escrever sequer uma história resumida dos Reinos. Mas tentaremos mesmo assim porque somos meio teimosos. Se quiserem ler cada detalhe da história, além das dezenas de livros, recomendo em especial o livro Grand History of the Realms, que é nossa principal, mas longe de única, fonte para esse texto que você começou a ler agora.



O calendário usado será o do Cômputo dos Vales. É importante salientar, no entanto, que nem de longe ele é o único usado. Cormyr, o Norte, Águas Profundas, Netheril, Shou Lung, Wa, Mulhorandi, Uther, Aryselmalyr e Serôs tem seus próprios calendários, só para ficar em alguns exemplos.



Devido ao tamanho que esse texto tomará, ele será dividido em três (ou mais) partes. A primeira parte vocês leem agora e traz uma introdução, bem como as duas primeiras eras do Reinospaço: A Era Azul e a Época das Sombras. A segunda parte(já publicada e você pode ler AQUI) começará pelos Dias do Trovão. Da terceira parte em diante, teremos dias menos antigos, quando os humanos já dominavam os continentes.










PARTE I




INTRODUÇÃO




Para entender um pouco sobre a história de Forgotten Realms, é bom entender o cenário. Um pouco da história da publicação do cenário você pode ler AQUI. Mas vamos a história.



Os Continentes


Os Reinos Esquecidos são compostos por alguns continentes. São eles: Anchorome, Maztica, Lopango, Katashaka, Laerakond, Faerûn, Zakhara, Kara-Tur e Osse.


Anchorome é o continente que fica a Noroeste no mapa, foi a casa dos Aearee, a raça fundadora das criaturas aladas. Há muito pouco material sobre o continente, além das citações da época dos Dias do Trovão. 



Maztica é o continente que fica a oeste no mapa e possui uma temática Maia-Inca-Azteca, Maztica era o nome da antiga divindade da Terra e da Vida no continente. Os habitantes acreditam que seu panteão criou a terra, as plantas, os animais e os humanos. O povo Payit então colonizou parte considerável do continente e se tornou um povo pacífico e sábio, mas eventualmente teve sua queda devido a traição e assassinato.


Navegadores de Amn, um reino na Costa da Espada de Faerûn, "descobriu" Maztica em 1361 e logo começaram a haver colônias de exploração e comércio. A primeira e mais importante cidade fundada para estes fins chamava-se Porto de Helm, em homenagem a divindade Helm, pois muitos dos que estavam na frota de descobridores eram devotos deste deus. Mais tarde, navegadores da ilha de Lantan também começaram a "colonizar" Maztica. Maztica desapareceu durante a Praga Mágica, indo parar em Abeir. Maztica retornou a Toril entre 1486 e 1487 CV.


Um importante fato sobre Maztica é que a raça Tabaxi é originária deste continente.



Lopango, A Terra do Fogo, é um continente peninsular ao sul de Maztica. Seu tamanho reduzido quase o faz não ser considerado um continente de fato. Uma vez, ele fez parte do supercontinente que eventualmente se separou, formando Faerûn, Kara-ur, Maztica e Zakhara. Naquela época Lopango era repleto de vulcões e, durante o auge do império Bathachi, era parte integrante desta nação.

Quase nada se sabe sobre Lopango, exceto que seus mapas apareceram nos livros de Maztica e os nomes de seus locais lembram nomes da cultura Inca. É possível interpretar que Lopango faz parte do continente de Maztica.



Katasha é um continente que se localiza na parte sudoeste do mapa. Foi a casa original de algumas tribos humanas, incluindo os Eshowe, Tabaxi e Thinguth. Sim. Há uma raça tabaxi e uma tribo humana tabaxi. Essas tribos acabaram sendo convocadas por Ubtao, o deus dinossauro, para migrarem para as Selvas de Chult.

Pouco se sabe além disso.



Laerakond é conhecido pelo povo de Faerûn como Abeir Retornado. Localizado entre Faerûn e Maztica, esse continente ilha é a casa de boa parte dos Draconatos do cenário, inclusive os draconatos do reino de Tymanther, na região de Unther. O continente de Laerakond é original de Abeir, e chegou a Toril após a Praga Mágica.



Faerûn é o principal continente do cenário, no sentido de que é o continente que concentra boa parte do que foi publicado. Por isso mesmo fica na região centro-norte do mapa. Quase tudo que se lê, em especial em português, sobre Forgotten Realms, é sobre este continente. A maior parte deste artigo (mas não tudo) também se concentra em sua história.



Zakhara, A Terra do Destino, é uma península gigante na região Centro-Sul o mapa, ao sul de Faerûn. Zakhara é o continente com uma temática árabe-persa no melhor estilo Mil e Uma Noites. Este continente se separa das terras do Norte pela traiçoeira cordilheira de montanhas conhecida como Pilar do Mundo. A Terra do Destino foi casa de diversas raças não humanas, mas os humanos são maioria e pertencem a etnia zakharano. Poucos zakharanos saíram de suas terras e a maioria foi pouco além das terras mais no extremo sul de Faerûn. No entanto, duas etnias de Faerûn descendem dos zakharanos: os bedinos e os calishitas. Um motivo para que o comércio entre Faerûn e Zakhara não ter se firmado é a enormidade de piratas que infestam os mares na costa noroeste da grande península.

Sendo uma terra cheia de desertos e gênios poderosos que a todo tempo interagem com os mortais, o continente todo é composto por apenas uma nação, com o mesmo nome que o continente, que funciona como uma enorme Teocracia governada pelo Grande Califa na capital Huzuz. Zakhara também é casa de uma estranha linhagem de conjuradores chamada Sha'irs.

Um dos motivos para os zakharanos não se esforçarem em interagir com o restante do mundo é por acreditar que eles são os únicos civilizados, vendo o resto do mundo como um bando de "bárbaros".



Kara-Tur é um grande continente a nordeste do mapa com temática "oriental". Kara-Tur e Farûn são separadas por uma grande vastidão de terra conhecida como Terras da Horda. Uma estrada muito comprida liga os dois continentes, chamada Trilha do Ouro. Pouco além disso existe de interação entre as duas terras. Na região continental, existem três reinos: Shou Lung, Tu'Lung e Tabot. Também existe na região peninsular alguns reinos, conhecido juntos como Reinos Insulares, apesar de dificilmente serem povos unidos.



Osse é uma terra no extremo sudeste do mapa, ficando entre Kara-Tur e Maztica, seguindo uma temática dos "aborígenes australianos". Pouco se sabe sobre as Terras de Osse. O povo da etnia osse é um povo que tem fortes laços com a terra e com o mundo natural. Eles acreditam que tudo possui espírito, sejam animais, vegetais ou rochas. Eles também veneram seus ancestrais como totens e acreditam que as estrelas são os espíritos dos ancestrais. Eles dividem a magia como totêmica e xamânica, onde a primeira é magia canalizada dos espíritos da natureza e a segunda o mundo espiritual em si. Através dessa magia e do uso do mundo espiritual, alguns poucos osses viajaram muito longe, chegando mesmo as terras de Faerûn.










As Raças Criadoras




As cinco raças criadoras dominaram Faerûn durante os Dias do Trovão. Todas são consideradas nativas de Abeir-Toril, assim como seus descendentes e suas criações. As raças criadoras são os Sarrukh, os Batrachi, os Aearee, as Fadas e os Humanos. As três primeiras raças criaram impérios em Faerûn nos tempos antigos, enquanto as Fadas escolheram habitar o plano de Faeria. Dragões, elfos, anões e algumas outras raças humanoides não são consideradas reças criadoras por terem sido criadas por deuses ou terem sido trazidas de outros mundos.


Os Sarrukh são uma raça reptiliana criadora dos yuan-ti, naga e povo lagarto.


Os Batrachi são uma raça anfíbia criadora dos batráquios (bullywugs), duplices (doppelgangers), kopru, kuo-toa, locathah, sivs, tako e outras raças metamorfas, anfíbias ou piscianas.


Os Aearee são uma raça alada criadora dos aarakocra, kenku e outras criaturas aladas.


As Fadas são uma raça feérica criadora korreds, sprites, pixies e outras criaturas feéricas.










Sarrukh






NO PRINCÍPIO, HAVIA O CAOS




Foi o nascimento do mundo e dos paraísos. Após Lorde Ao criar o Reinospaço, Houve um tempo de ausência, um reino nebuloso de sombras onde luz e sombras ainda não eram entidades separadas. Neste caos habitavam os shadevari, os terríveis treze Senhores das Sombras. Primordiais em estado de caos, sombras e ausência do tempo. A essência primordial que havia no Reinospaço e por onde viviam os Senhores das Sombras originou duas belíssimas deusas gêmeas: Shar e Selûne. Elas eram próximas ao ponto de parecerem uma só, mas também diferentes como o Yin e o Yang. Selûne, a deusa dos cabelos de prata, representava a luz , enquanto Shar, a deusa dos cabelos negros, representava a escuridão.


As gêmeas então começaram a criação, mas pouco se sabe se de forma intencional ou como resultado da batalha entre elas, por serem tão parecidas e tão diferentes. E surgiu a Mãe Terra, Chauntea, que nessa época envolvia todo Reinospaço. Aos poucos surgiram o mundo. Chauntea desejava luz e calor. A batalha entre as irmãs se intensificou, e algumas divindades foram criadas como resquício dessa batalha. Num momento em que levava vantagem na guerra, Selûne criou o sol, que tudo aqueceu.


Mas então a guerra eterna através dos mundos entre deuses e primordiais chegou ao Reinospaço...











A ERA AZUL




Neste começo, Abeir-Toril ainda não possuia continente algum, e era só água. A Mãe-Terra começava a dar vida ao planeta. No entanto, a Guerra do Amanhecer chegou ao Reinospaço e um dos primordiais, Dendar - A Serpente Noturna, devorou uma das mais prezadas criações de Selûne, o Sol. As temperaturas então caíram e quase toda a vida original foi extinta. E assim acabou a Era Azul.


A Guerra do Amanhecer: Esta guerra foi possivelmente a primeira grande guerra no Multiverso, entre deuses e primordiais. Ela começou quando o deus louco Tharizdun - O Mal Elemental, fez com que os primordiais atacassem os deuses em busca de dominar o Multiverso. Tharizdum acabou aprisionado, mas os primordiais, liderados agora por um Tanar'ri chamado Miska - O Lobaranha, seguiram na guerra. Nehustha, um dos primordiais, construiu sua fortaleza em Abeir-Toril. Shar e Selûne fizeram uma trégua em sua guerra, talvez a única na história, para defender o Reinospaço. Mais deuses nasceram durante essa guerra e deuses de outros mundos chegaram ao Reinospaço durante o conflito. Ao final da Era Azul, quando Dendar devorou o Sol, Ouroboros - A Serpente Mundial, começou a liderar o exército dos deuses. Os primordiais sofreram, no entanto, mais um enorme golpe quando Miska foi derrotado pelos Duques Dos Ventos de Aaqa (importantes lordes do Plano Elemental do Ar) no mundo de Oerth (o planeta do cenário de Greyhawk). O primordial Ubtao se virou contra seus antigos aliados, aprisionando vários primordiais, e então o Sol foi recriado e a Guerra do Amanhecer acabou. O final da guerra inicia os Dias do Trovão.







Dendar, por Lilly @thenothingmaker






A ÉPOCA DAS SOMBRAS





A Época das Sombras começou quando Dendar, A Serpente Noturna, devorou o Sol. Ainda que o espólio pelo qual lutavam primordiais e deuses tenha sido bastante reduzido, já que quase toda vida foi extinta, a Guerra do Amanhecer continuou. Ouroboros, A Serpente Mundial, liderava os deuses nas batalhas, e havia perdas de ambos os lados, até que o primordial Ubtao trocou de lado, em troca de uma porção de terra, e ele ajudou os deuses a vencerem a guerra.


Quando um novo Sol foi criado, a Época das Sombras acabou, dando início aos Dias do Trovão.




Io contra Erek-Hus




FINALIZANDO





Esperamos que tenham gostado dessa primeira parte de nossa (Não Tão) Breve História Sobre os Reinos. Quer ler o restante da história? Gostou do texto? Então comente e curta nossa página nas redes sociais! Não se esqueçam de compartilhar nossos posts e curtir nossas páginas nas redes sociais! @meuspergaminhos está no Twitter, Instagram e Facebook, além de seguir nosso canal no Youtube. Você pode encontrar nossos links nos ícones ali em cima ou visitar nosso Linktree AQUI.



Bons jogos!





Postar um comentário

1 Comentários

Rico disse…
Vlw Rafael.

Excelente para eu me tornar um pouco mais culto nesse cenário e poder explorar histórias junto a minha party.