REVISITANDO LUGARES – OS POÇOS GOBLINÓIDES DE IO-RACH


OS POÇOS GOBLINÓIDES DE IO-RACH



Kezzerug olhou para os guerreiros sobreviventes após a derrota esmagadora sofrida diante do bando de elfos. Aquilo não só era uma vergonha, mas uma mancha em sua liderança que poderia ser desafiada. Além disso, agora a enorme tribo estava em risco. Poucos membros treinados em combate estariam disponíveis caso as chamas da eterna contenda contra os kobolds da região fossem alimentadas. Kezzerug convocou os três xamãs de Maglubiyet, o Lorde das Batalhas, e exigiu que os três começassem estranhas – e profanas – experiências nos poços da tribo de Io-Rach. Após anos de tentativa e erro, banhando “voluntários” nos poços cheios de alquimia e rituais mágicos, um goblin sobreviveu aos testes. Kezzerug olhou para o primeiro de seus novos guerreiros e disse:

– Filho. Agora você representa em nossa tribo a força e fúria de Maglubiyet!

Io Rach e seus poços foram introduzidos ao mundo de D&D no livro The Book of Vile Darkness , publicado pela Wizards durante a terceira edição do jogo. Inspirado neste material, criamos uma adaptação e evolução da história ali contida, sem nenhuma intenção de ser completamente fiel ao projeto original, mas nos baseando bastante nesse material, em uma interessante união com uma criatura publicada no livro Expanded Psionics da Wizards, o Blue (que traduzimos como Azul). 



Goblin por Svetlin Velinov


IO RACH


A tribo de Io-Rach, uma das maiores tribos do continente, estava envergonhada e suas defesas estavam expostas. Se algum de seus inúmeros inimigos resolvessem atacar, um genocídio era o mais provável dos acontecimentos. Seu líder, Kezzerug, decidiu chamar os mais experientes xamãs da tribo para que conseguissem através de magia e alquimia, se aproveitando dos poços de água quente e revitalizantes do território da tribo, para criarem uma forma evoluída de guerreiros que aumentassem o poder bélico dos Io-Rach. Kezzerug conseguiu disfarçar suas fraquezas e, com muita inteligência e sagacidade, fingir que a derrota diante dos elfos não fora mais que um leve percalço e que as forças da enorme tribo seguiam inquestionáveis. Alguns anos se passaram e a cada nova falha, Kezzerug se sentia mais questionado e mais propenso a atirar os xamãs nos poços em um acesso de fúria. Mas um dia, os esforços começaram a dar resultado. O goblin sobrevivente agonizou por alguns dias e então... mudou. Seu corpo cresceu, ficando do tamanho de um orc, e seus músculos ficaram proeminentes, com seus membros ficando disformes e simiescos. Seus olhos saltaram como de insetos para fora da cavidade orbitária e sua pele apresentava feridas abertas e pustulentas.  Ele estava monstruoso. E forte.

Durantes as semanas seguintes, novos “monstros” foram criados. Para cada três goblins que sobreviviam a mudança, um perecia. Mas os sobreviventes eram fortes e resistentes como nenhum goblin jamais fora. Kezzerug conseguiu o que queria.



Io Rach



O líder dos Io-Rach testou as águas em outras criaturas, mas a verdade é que a taxa de mortalidade era muito maior, e mesmo as sobreviventes não resultavam em armas de guerra tão eficientes, ainda que algumas tivessem “habilidades interessantes”. Os Io-Rach se tornaram novamente uma força a ser temida. Em poucos anos eles exerceram seu poder na região e exterminaram seus principais inimigos, com os poucos sobreviventes fugindo dali ou se escondendo das vistas das tropas de Kezzerug.

Mas o tempo de Kezzerug chegou. Ele foi desafiado e derrotado pelo jovem Vorgamog. Parecia surgir uma nova liderança entre os Io-Rach, mas um nascimento que fora escondido de Kezzerug mudaria a história da tribo. Em raras ocasiões, nasce entre os goblins uma criança de pele azulada. Ela nasce com grande propensão a magia e aos poderes da mente. Eles têm vários nomes na língua goblin, variando conforme a tradição e lendas daquela tribo, pois eles podem ser sinal de sorte ou azar, e muitas vezes são encarados como uma ameaça pelos líderes goblinóides. Na língua comum, os sábios que estudaram a lenda os chamam simplesmente de azuis.





ZAGUINI


Este goblin azul nasceu de uma jovem xamã que, ao perceber o evento, disfarçou sua cria com magia para que ninguém notasse. Ele era um pouco menor que a média goblin, como em geral são todos os azuis. Mas ninguém notou, pois goblins pequenos também nascem por vezes e as experiências chamavam muito mais atenção. O pequeno azul foi nomeado Zaguini. Zaguini entendeu ainda cedo o que representava, tanto em relação ao risco que corria quando à ameaça aos mais poderosos. Zaguini seguiu disfarçado magicamente pela mãe durante os anos e, ao chegar à idade adulta, decidiu abraçar seu destino. Ao se mostrar à tribo, os Io-Rach ficaram entre o medo e a adoração. Um novo líder surgira, trazendo tempos de grandeza e prosperidade. Vorgamog organizou um grupo para acabar com Zaguini mas foi enfeitiçado pelo azul e cedeu a liderança pacificamente, e se colocando à disposição para se banhar nas águas dos poços, como de fato aconteceu.

Os Io-Rach agora são uma tribo poderosa, com seus terríveis goblins deformados e liderados por um jovem azul de ganância insaciável. Neste momento, grupos de infiltração goblins são enviados a povoados para sequestrar humanos e outros humanoides para que partes de seu corpo (principalmente sangue e cérebro) possam ser usadas em experiências novas para criar poços que criem criaturas ainda mais poderosas para os Io-Rachs, enquanto grupos de batalha, com goblins deformados liderados por um oficial goblin não transformado, atuam nas estradas próximas saqueando caravanas em busca de tesouros, bens de consumo e, quem sabe, alguma carga mais especial.


Dark Hold Goblin Adventures  por John Dotegowski


AS CRIATURAS DE IO RACH


Os goblins deformados de Io Rach, bem como os azuis, possuem estatísticas diferentes das fichas disponibilizadas nos livros oficiais de D&D. Para ter acesso as fichas dos goblins deformados e dos goblins azuis, baixe o PDF com estas criaturas AQUI.

Esperamos que tenham gostado de nossa visita aos Poços de Io-Rach!

Bons jogos!


Postar um comentário

0 Comentários