O LIVRO DA GUILDA DA ORDEM VIGILANTE


Em outubro de 2004, Sean K Reynolds escreveu na página da Wizards of the Coast sobre um importante livro pertencente a Ordem Vigilante dos Magistas e Protetores, uma das guildas arcanas mais poderosas dos Reinos, mas que a maioria dos habitantes, mesmo da própria cidade, sequer sabe de sua existência. Nós resolvemos então trazer um pouco da história desse livro, que no final das contas pode se tornar uma idéia para sua próxima aventura. Sean é um importante designer de RPG e trabalhou por muitos anos na TSR e depois na Wizards of the Coast, sendo autor ou co-autor de diversos livros, incluindo o Cenário de Campanha de Forgotten Realms da 3ª edição de D&D, o Livro dos Monstros da 3ª edição de D&D e os livros Magia de Faerun e Raças de Faerun, ambos de D&D ligados ao cenário de Forgotten Realms.

Este texto é não só uma tradução, como uma adaptação do texto original publicado na página da Wizards, feitas por Rafael Castelo Branco de Oliveira Torres.






O LIVRO DA GUILDA DA ORDEM VIGILANTE


Este livro é encadernado em couro marrom, costurado em um grande fio de seda púrpura e marcado com uma mão branca na vertical na capa. As páginas do pergaminho estão com bordas douradas e um marcador de couro está pendurado na lombada. Em sua lombada há o número 1, em tinta branca, no alfabeto usado pelo antigo idioma de Thorass.





ÚLTIMO REGISTRO

Bren Castelo Cinzento, feiticeiro de Águas Profundas, 7 Mirtul, 1373 CV.



DESCRIÇÃO

Este livro tem cerca de 30 centímetros de altura e largura com capa de couro robusta, costuradas com seda púrpura. A capa apresenta um símbolo vertical de mão branca, idêntico àquele do brasão da Ordem Vigilante dos Magistas e Protetores, uma Guilda em Águas Profundas “contratada” para proteger a cidade de crimes, incêndios e outros perigos. Na lombada está o número "1" nas Runas de Thorass, e sua cor corresponde ao branco da mão na capa. As páginas internas são de pergaminho de alta qualidade, com tinta preta e cuidadosamente ilustradas com diagramas e figuras que mostram os componentes materiais e os efeitos dos feitiços.

Todo o texto está em Chondathan, em um dialeto usado em Águas Profundas. A capa apresenta o título Livro da Guilda da Ordem Vigilante, Volume 1, com o subtítulo Propriedade Exclusiva da Ordem Vigilante dos Magistas e Protetores, Águas Profundas. O livro parece ter sido bastante manuseado, mas mantido em muito bom estado; claramente este livro nunca foi arrastado por uma masmorra nem passou muito tempo junto a um cadáver de um mago em algum lugar no deserto.







HISTÓRIA

A Ordem Vigilante dos Magistas e Protetores é uma guilda de arcanistas que foi formada em Águas Profundas no começo do Século XIV. Eles contratam seus próprios membros para proteger a cidade dos perigos, particularmente lançadores de feitiços indisciplinados, e incentivam os magos locais e visitantes a serem prudentes e conservadores no uso da magia em público, para que o povo da metrópole respeite os magos por suas restrições, em vez de temê-los pelo poder deles. Ao longo dos anos, eles criaram ou adquiriram uma coleção de feitiços não-letais úteis para deter criminosos dentro da cidade sem causar danos à propriedade e inocentes. Esses feitiços foram finalmente reunidos em um par de livros chamados Os Livros da Guilda da Ordem Vigilante. Os membros da guilda têm acesso aos livros para que possam proteger a cidade com segurança. Alguns acreditam que existem três cópias de cada um dos dois volumes: um mantido na sede da guilda, outro na casa do mestre da guilda (em 1373 era Mhair Szeltune, que já era mestre da guilda há mais de vinte anos e já pensava em se aposentar) e um mantido em um local secreto.

O feiticeiro Bren Castelo Cinzento foi um dos muitos jovens conjuradores que cresceram em Águas Profundas e se juntaram à Guilda, servindo sua cidade natal por vários anos como um Assistente de Vigia, ocasionalmente mergulhando em Undermountain em busca de espólios e glória. Bren foi a pessoa mais recente a pedir emprestada a cópia do Volume 1 mantida na guilda, e quando ele saiu com os outros três membros de seu bando de aventuras, ele aparentemente levou o livro com ele, pois ele não foi devolvido à guilda. A guilda protege suas magias (assim como as outras informações que o livro contém: veja abaixo) e deseja que o livro seja devolvido; membros seniores da guilda usaram magias para rastrear a localização de Bren, sem sucesso, planejando usar o teletransporte para alcançá-lo, recuperar o livro e levar o livro e o ladrão para ser julgado em Águas Profundas por uma acusação de roubo. Muito tempo se passou desde então. Se algum outro grupo encontrar o livro (e souber o paradeiro de Bren), a guilda ficaria muito grata pelo livro e pela informação, especialmente se for feito de forma sigilosa, afinal, é uma enorme vergonha não ter sido capaz de recuperar seu tomo.







CONTEÚDO

As dez primeiras páginas do livro descrevem vários portais conhecidos pela guilda  na cidade de Águas profundas, em suas proximidades e “abaixo da cidade”. Essas descrições incluem todas as informações sobre o portal que podem ser determinadas através de profunda análise mágica sobre ele, incluindo para onde vai, métodos de abri-lo e utilizá-lo, se são permanentes ou sazonais, se são de uma via ou via dupla e diversos outros detalhes. Os conjuradores da guilda usam esses portais para percorrer a cidade com pressa, como quando precisam convergir para um distúrbio.

As quatro páginas seguintes descrevem profundamente teoria metamágica e magias de efeito não letal, bem como a produção de pergaminhos e de poções referentes às magias que estão nele contidas.

As páginas restantes descrevem quinze magias usadas pela guilda para subjugar, deter e incapacitar os causadores de problemas sem causar danos aos habitantes e às propriedades.

As magias do livro estão listadas abaixo.

1º Círculo

Armadura Arcana
Copreender Idiomas
Enfeitiçar Pessoa
Leque Cromático
Passos Largos
Proteção Contra o Bem e o Mal
Raio Nauseante
Retirada Acelerada
Salto
Sono


2º Círculo

Arrombar
Cegueira/Surdez
Chama Contínua
Detectar Pensamentos
Localizar Objeto
Passo Nebuloso
Imobilizar Pessoa
Tranca Arcana
Ver o Invisível


3º Círculo

Clarividência
Contramagia
Dissipar Magia
Lentidão
Padrão Hipnótico

(Acredita-se que o volume 2 tenha o mesmo comprimento e possua magias de 3º círculo e, talvez, superior, além de uma ou outra magias mais raras, e também notas sobre outros portais conhecidos pela guilda e sobre a criação de outros tipos de itens mágicos como varinhas, cajados e bastões).







PREÇO

É difícil de estimar, pois além de diversas magias descritas, bastante úteis para que um mago possa passar para o seu próprio grimório, o tomo contém informações muito importantes sobre os portais da metrópole. Tais informações e as magias fariam o livro valer certamente algo acima de 2000 peças de ouro. A guilda colocou na época uma recompensa de 3.000 po para recuperar o livro afim de para garantir que nenhuma cópia seja feita e localizar qualquer pessoa que possa ter lido. Ela também estava disposta a conceder a quem trouxesse o livro de volta um valor de aproximadamente 4.000 po em pergaminhos comuns (de magias do Livro do Jogador, de 1º, 2º ou 3º círculo).







ÚLTIMO PORTADOR CONHECIDO


Bren Greycastle, feiticeiro de Águas Profundas

Bren cresceu em Águas Profundas, filho de um arquiteto rico. Enviando-o para as melhores escolas, sua família esperava que ele se tornasse um estudioso ou funcionário público da cidade, e eles ficaram bastante surpresos quando seu talento de feiticeiro se manifestou. A família providenciou que Bren fosse aprendiz de um membro aposentado da Ordem Vigilante, que nutriu seu jovem aluno nas formas mais sutis de magia e (com base nos comentários que ele fez a seus companheiros de aventura) em intimidade. Bren concluiu seu aprendizado e passou a trabalhar como guarda de aristocratas médios e comerciantes ricos, economizando dinheiro suficiente para financiar uma pequena expedição à Undermountain. Esse gosto por aventura e magia dramática acabou por despertar nele uma fome por mais.

Quando ele se tornou mais experiente, ele se juntou à Ordem Vigilante, mais para agradar seu mentor do que por qualquer grande interesse na guilda. Ele ficou entediado com os usos mundanos e moderados da magia que a guilda praticava no interesse de proteger a propriedade e os cidadãos, e ansiava por fugir da guilda quando ele pudesse planejar outra investida em Undermountain. Ele e seus colegas - Doren Quebrapedras (um anão bárbaro) e Thol Cedronegro (um meio-orc sacerdote de Tymora) - fizeram várias viagens bem-sucedidas à masmorra mais perigosa de Faerun, mas essas aventuras se tornaram menos divertidas depois que um monstro estranho capturou o batedor do bando. Eles contrataram um substituto (um bardo gnomo chamado Zel Chifrebranco) e fizeram algumas viagens depois disso, mas começaram a procurar um trabalho menos perigoso (já que Undermountain é letal e eles perceberam que estavam apenas tendo sorte).

Quando o grupo ouviu falar de um castelo disponível na coroa de Cormyr, eles partiram para aquela terra para tentar "adquirir um castelo grátis". Pouco antes de sair, Bren pegou emprestado o tomo para refrescar sua memória de que mágica ele poderia querer desenvolver em seguida. Na pressa de fazer as malas e viajar, ele não percebeu que havia embalado o tomo junto com seus próprios pertences, e ele não tem idéia de que a guilda foi atrás dele por roubar suas propriedades. Bren foi visto pela última vez em Arabel com Doren, Thol e Zel, tendo fracassado em adquirir o castelo E'undsul nas Terras Rochosas. Os planos de Bren depois disso são desconhecidos, embora seja provável que ele tenha procurado por aventura e a oportunidade de usar abertamente magias de caráter destrutivo.

Bren nunca soube que ainda possuía o livro e teria ficado feliz em entregá-lo a qualquer pessoa que ele acreditasse ser um agente confiável da guilda. Ele não tinha planos de voltar a Águas Profunda. Ele e seus amigos eram mais do que aventureiros competentes e, se foram atacados, certamente foi por algo muito poderoso.







SUGESTÕES

Talvez Bren esteja vivo, tendo sido pego em algum tipo de armadilha de suspensão permanente em alguma masmorra ou ruína. Ou ele e seus companheiros tenham sido mortos por algo terrível e o livro esteja abandonado por aí ou na posse de alguma criatura poderosa, ou de um conjurador que nunca teve a intenção de devolvê-lo aos aguaprofundanos. Uma das opções para usar essa aventura seria colocar a recuperação do livro como uma forma de ingressar na Guilda da Ordem Vigilante. Além da possibilidade de conseguir acesso a biblioteca, a simples possibilidade de comprar pergaminhos e poções, além de ao ser obrigado a pagar as taxas da cidade de Águas Profundas que podem chegar a um quinto do valor do preço, encarecendo e muito o preço de tudo que é vendido na metrópole, já faz valer a pena fazer parte dessa organização. A organização aceita conjuradores e, além da taxa de inscrição (de 1000 peças de ouro), tem uma “pequena” taxa anual de 100 peças de ouro e a exigência de fazer trabalhos para a Guilda por 10 dias a cada ano.







FINALIZANDO O TEXTO


Gostaram? Querem ler mais sobre a Ordem e sobre Águas Profundas? Comente, compartilhe! Faça com que saibamos que você gostou deste texto!

Bons jogos!

Postar um comentário

1 Comentários

Guilherme Correa disse…
Maravilhoso, excelente trabalho... <3