SPELLFIRE - O FOGO PRIMORDIAL


O PORTADOR DO FOGO PRIMORDIAL - UM NOVO PATRONO PARA BRUXOS





Um dos mais assombrosos e extraordinários tópicos sobre magia nos Reinos é o Spellfire, o Fogo Primordial. Um fogo avassalador que tudo consome e que é possuído, e levemente controlado, por pouquíssimas pessoas na história de Faerûn.

Lendas falam que os deuses nunca permitem que exista mais de um Portador do Fogo Primordial, ainda que não se saiba se de fato é um presente vindo de deuses ou o que poderia ser, de fato, a origem de tal poder. Essas pessoas não falam sobre isso. Na verdade, o risco de serem caçados por magos loucos, cultistas insanos e todo tipo de curioso dos mais perigosos faz com que os portadores do fogo primordial usem seus poderes nas sombras, de forma o mais discreta possível. Se é que dá realmente pra falar isso. Segundo Volothamp, ele conheceu ao menos três governantes e uns poucos "magos" que eram na verdade portadores do fogo primordial, mas ele se recusou a dar o nome dessas pessoas. A mais famosa portadora foi Shandril Shessair, e ela viveu perseguida por isso. 



UM POUCO MAIS SOBRE O SPELLFIRE




Desde o AD&D, e graças aos romances escritos por Ed Greenwood sobre a saga de Shandril Shessair, o Fogo Primordial se tornou tema de diversos suplementos no D&D, desde o Volo's Guide to All Things Magical, do AD&D, até livros de cenário e suplementos como o Magic of Faerûn da terceira edição de D&D. Em alguns deles havia a possibilidade de se jogar com um Spellfire, sempre com o aviso que o Mestre deve ter a última palavra se um jogador pode ou não jogar com um personagem tão poderoso. Em conversa com amigos a gente sempre discutiu como se adaptaria tal classe pra 5ª Edição. Foi quando pensei em toda a sua mecânica e sua história e comecei a imaginar se não seria interessante fazer com que ela funcionasse não como um feiticeiro, um caminho mais "fácil", mas que deixaria toda a mecânica estranha, mas sim como um bruxo. Bruxos tem menos magias, tem uma mecânica de combate parecida com a ideia do Spellfire, e com algumas invocações especiais poderia ficar bem próximo do que a classe do AD&D e a classe de prestígio da 3ª edição representavam. Mas tinha a questão do pacto...





Então fiquei pensando na história da Shandril, que tornou-se uma "portadora do fogo primordial" sem nunca escolher sê-la de fato. E se o pacto não fosse algo claro ou consentido, e o patrono fosse a própria Trama? E então elaborei a subclasse que temos aqui.

O Fogo Primordial basicamente é o uso da energia da vida e da magia transformada em uma incontrolável chama prateada, capaz de atravessar defesas e causar enormes danos através da simples força de vontade do usuário. Aqueles que observam um Portador do Fogo Primordial em ação descrevem uma chama branco-azulada que a tudo consome. E ninguém sabe ao certo sua origem ou natureza. Como disse Volothamp, "a verdadeira natureza e propriedades do fogo primordial permanecem em sua grande maioria mistérios ainda não desvendados no momento em que escrevo esse livro". 

Assim, essa subclasse traz uma opção narrativa para o Fogo Primordial e uma opção conceitual e razoavelmente equilibrada para todos que quiserem jogar com um Spellfire.





Espero que gostem!

Bons jogos!

Postar um comentário

0 Comentários